segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Dia Azul - contagem regressiva

São José celebra o Dia do Surdo com programação inclusiva

Evento promovido pela AADA chega a 4ª edição e terá entrada franca




O Parque Vicentina Aranha, em São José dos Campos, será palco das comemorações do Dia Azul, no dia 24 de setembro. A data é alusiva ao Dia do Surdo, 26 de setembro, e a programação do evento leva a assinatura da Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA), que há 28 anos é tida como referência no atendimento multidisciplinar da pessoa surda no Vale do Paraíba.
O objetivo principal do Dia Azul é difundir as ações da comunidade surda e promover integração entre a comunidade surda e ouvinte, favorecendo o conhecimento e conscientização a respeito da surdez. A ação, que está em sua 4ª edição, também visa divulgar as atividades e serviços à disposição da pessoa surda nos espaços públicos da cidade.
O Dia Azul contará com intervenções e apresentações artísticas em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), exposição de programas e projetos da AADA, oficinas, informações sobre a surdez e diferentes graus de perda  auditiva. Interessados ainda poderão interagir com a comunidade surda, intérpretes e demais profissionais que atuam neste universo. A entrada é franca.

"Dia Azul"

Quando: domingo, 24 de setembro, das 9h às 13h;
Local: Em frente a entrada do Parque Vicentina Aranha
Rua Engenheiro Prudente Meireles de Moraes, 302. Vila Adyana.



PROGRAMAÇÃO:

Contação de histórias e teatro fazem parte da programação
 9h às 13h:
·       Orientações sobre a surdez;
·       Informações sobre a AADA (Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo);
·        Informações sobre cursos de LIBRAS;
·        Repertório básico  de comunicação em LIBRAS, com o Dr. Leco;
·        Esclarecimentos jurídicos sobre benefícios;
·        "Batismo em LIBRAS" - interessados poderão aprender seu nome em LIBRAS e ganhar seu próprio sinal da comunidade surda.

- 9h30:
. Apresentação do teatro “Cachinhos Dourados” - Trupe Sentidos. Sinopse: espetáculo em LIBRAS que faz um passeio pelo universo da fantasia e nos mostra a curiosidade de uma menina travessa, uma família de ursos muito atrapalhada e diversas situações curiosas com muito humor e energia. Duração: 30min – Para todas as idades.

- 10h:
. Contação de história em LIBRAS ”A semente da verdade” - Trupe Sentidos. Sinopse: Um garoto chinês chamado morava com seu avô e adorava trabalhar com a terra, plantar, colher, cuidar. Um dia ele se deparou com um grande desafio que o ensinou sobre a importância da coragem e da honestidade.

Mais informações: (12) 39434729.


segunda-feira, 24 de julho de 2017

Queremos uma melhor qualidade na educação para surdos


A Dra. Marianne Rossi Stumpf conversando com a equipe do BlogAADA

Marianne Rossi Stumpf nasceu surda no seio de uma família de ouvintes. Sua mãe, que foi professora de deficientes auditivos, sabia que era muito importante que a criança aprendesse a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e acompanhou desde cedo a educação da filha. Antes dos oito anos a Marianne já tinha conhecimentos da língua, mas foi a partir dessa idade que começou a estudá-la mais a fundo e, com o decorrer do tempo, também aprendeu português.

Acredita que graças à ajuda da sua mãe, e também por muito lutar, conseguiu se formar em Tecnologia da Informática na Universidade Luterana do Brasil (2000) e fazer doutorado em Informática na Educação, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005).

“Às vezes as famílias têm o conceito de que o surdo tem que fazer implante coclear e usar aparelho para poder ouvir e falar, então nesses casos a própria família não o aceita e não reconhece a LIBRAS como identidade dele”, enfatizou à equipe do BlogAADA, momento antes de apresentar com a ajuda de duas intérpretes a palestra Políticas Linguísticas: inclusão dos surdos na Universidade, no 3º Congresso Nacional sobre Surdez.

INCLUSÃO NÃO É SÓ COLOCAR INTÉRPRETES NAS ESCOLAS
Durante sua apresentação a professora Stumpf refletiu sobre varias questões que dificultam o acesso dos surdos às universidades públicas. Para ela, embora nos últimos anos houve avanços no plano jurídico que não existiam na época em que se formou, ainda existem inúmeras dificuldades que atrapalham o ingresso nas faculdades e que também interferem na qualidade do ensino nos diferentes níveis.

Uma dessas problemáticas é a ausência de cursos de graduação em Letras LIBRAS na maioria das universidades federais do país, embora a disponibilização deles esteja prevista pelo decreto Lei 5.626, sancionado em dezembro de 2005.

Segundo a medida, “a formação de docentes para o ensino de Libras nas séries finais do ensino fundamental, no ensino médio e na educação superior deve ser realizada em nível superior, em curso de graduação de licenciatura plena em Letras: Libras ou em Letras: Libras/Língua Portuguesa como segunda língua”. No entanto, na pratica muitos dos professores que lecionam aulas de LIBRAS na educação básica não têm graduação na modalidade.

Nesse sentido a palestrante acrescentou: o governo acha que inclusão é só colocar um interprete, mas não é bem assim. Não podemos nos contentar só com intérpretes, temos que ir além.

“Em 2006 foi implementado o curso de Letras Libras na Universidade Federal de Santa Catarina. Foi muito importante, eu me sinto muito orgulhosa porque isso aconteceu. Foram criados outros em alguns estados, mas são poucos. Aqui em São Paulo,  por exemplo, não tem o curso de Letras LIBRAS só tem a formação de interpretes”.

A escola bilíngue é outra das dificuldades salientadas por Strumpf. Nesse sentido referiu-se ao Plano Nacional de Educação 2014-2024, o qual prevê, entre outras disposições, o asseguramento da educação bilíngue para crianças surdas. “Realmente é um plano muito importante, mas o governo e o Ministério de Educação simplesmente guardaram esse documento e o ignoraram. É preciso exigir que esse plano realmente entre em vigor e não caia no esquecimento como está acontecendo até hoje”.

“Sabemos que existe uma grande discussão no tocante à linguística, no Brasil o Português é obrigatório, para fazer documentos, na justiça, tudo é em Português, a LIBRAS acaba ficando como algo inferior, mas também existem muitos outros idiomas no país que acabam sofrendo. Então é importante nós olharmos também para as línguas menores. O Português não pode ser um fator de exclusão”.

Outro dos pontos mencionados pela professora foi a necessidade de disponibilizar as provas, tanto de vestibulares como de concursos, em formatos acessíveis para os surdos, ou seja, em LIBRAS, embora ela saiba que são muito trabalhosas de realizar.

Durante muitos anos esse tem sido uma reclamação da comunidade surda, pois os estudantes têm dificuldade para se preparar e resolver provas como o ENEM, devido a que os exames estão em português e a leitura para pessoas que não têm uma boa formação nessa língua se dificulta. Em anos anteriores vários estudantes também declararam que a tradução feita pelos intérpretes não era suficiente.

Para o ENEM 2017 os estudantes surdos vão ter pela primeira vez acesso a vídeo com as questões traduzidas na LIBRAS.  A professora Stumpf aplaudiu a iniciativa e salientou que está torcendo para que o experimento tenha sucesso.

Quase no final da apresentação, a palestrante reconheceu que nos últimos anos houve um ganho em algumas questões da interpretação/tradução, mas que essas “conquistas” não são suficientes. Não se pode descansar, é preciso lutar cada dia por uma melhor qualidade na educação para os surdos. 


terça-feira, 18 de julho de 2017

São José é palco do 3º Congresso Nacional sobre Surdez

O Parque Tecnológico de São José dos Campos, localizado na zona leste da cidade, receberá entre os dias 20 e 22 deste mês o 3º Congresso Nacional sobre Surdez. O evento é realizado pela Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo, entidade que é referência em atendimento ao surdo em todo o Vale do Paraíba, e tem o apoio da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
A proposta do congresso é reunir profissionais renomados com o objetivo de abordar avanços, paradigmas e novos conceitos relacionados à surdez, com enfoque na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), nos seguintes aspectos: cognição, intervenções médicas, inclusão escolar e cidadania.
O evento será aberto na próxima sexta-feira, a partir das 8h, com o credenciamento; às 10h tem início a programação das palestras, com a professora Dra. Edeilce Buzar, que falará sobre “Linguagem, surdez e cognição”, seguida pelo também professor Dr. Vinícius Nascimento, com o tema “A importância da LIBRAS como língua”.


O uso de tecnologia, como a do implante coclear, também conhecido como “ouvido biônico”, e também a opção pela língua de sinais, como principal forma de comunicação, serão apresentados sob as perspectivas da pessoa surda e de seus familiares, que contarão aos presentes sobre suas escolhas e experiências. A palestra “Dificuldades encontradas na escola e na vida do surdo oralizado” vai mostrar aos participantes os desafios de quem tem deficiência auditiva, mas consegue se expressar verbalmente. É o caso do professor surdo Rauf Di Carli.
Outro destaque do Congresso Nacional de Surdez é a apresentação do projeto Escola Bilíngue – Libras-Língua Portuguesa, desenvolvido pela Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Aparecida dos Santos Ronconi, de São José dos Campos, que também tem crianças e jovens surdos implantados entre seus alunos.
O evento ainda reserva temas como a inclusão dos surdos nas universidades, cultura e literatura surda, Lei Brasileira de Inclusão e língua de sinais nas artes cênicas.

Serviços:
Inscrições e programação completa do 3º Congresso Nacional sobre Surdez, www.congressolibras.com.br. Apoio: Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Local: Parque Tecnológico - avenida Cesare Mansueto Giulio Lattes, 1201, Eugênio de Melo, São José dos Campos.

segunda-feira, 19 de junho de 2017


Palestra motivacional retrata trajetória de jovem com paralisia cerebral

Sob a pele da palhaça “Birita”, a jovem Ariadne Antico, diagnosticada com paralisia cerebral, comanda a palestra “Muros e grades são invenções humanas”, que será realizada no próximo dia 28, às 19h30, no auditório Dom Bosco, no Jardim Esplanada em São José dos Campos. O evento tem entrada franca e faz parte da programação de cursos e oficinas da Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA).
Ariadne narra sua trajetória de superação após o diagnóstico médico de que nunca conseguiria andar e falar. “De forma intensa, humana e engraçada, ela relata como transformou limites, dificuldades e crises em alegrias e realizações”, pontua a gestora de projetos da AADA, Erika Tirapeli.
A palestra ainda chama a atenção para o 3º Congresso Nacional sobre Surdez, que será realizado nos dias 20, 21 e 22 de julho, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, cujas inscrições estão abertas (HTTP://congressolibras.com.br). A proposta é reunir profissionais renomados com o objetivo de abordar os avanços, paradigmas e novos conceitos relacionados à surdez, com enfoque na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), nos seguintes aspectos: cognição, intervenções médicas, inclusão escolar e cidadania.

Serviços: Espaço Cultural Dom Bosco (auditório do Instituto São José) – rua Clovis Bevilacqua, 735, Jardim Esplanada. 

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Festa Junina

Mês de junho chegando e com ele as deliciosas comidinhas da época. Se você é um apaixonado por quermesses, quitutes juninos e solidariedade, não pode deixar de ir ao Arraia da Assem, entre os dias 01 e 03/06, na sede da entidade, no Jd. Santa Luzia, em São José dos Campos. A AADA estará presente nas barracas do pastel e pão com linguiça. Ainda vão rolar apresentações de quadrilhas, dança nordestina e balé. Imperdível. A entrada é franca. Esperamos por você!!! 

AADA 28 anos




A Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo completa 28 anos de atividades neste mês. Para celebrar a data, marco para a comunidade surda do Vale do Paraíba, será realizado um Jantar-Baile no dia 10 de junho, a partir das 20h, no Espaço Vidoca, em São José dos Campos (mapa nesta página). O menu é assinado pelo chef Barhouch e será composto por massas e molhos, além de deliciosos doces caseiros. As bebidas ficam por conta dos convidados. Faça sua reserva!


domingo, 14 de maio de 2017

Dia das Mães


Não sabendo que era impossível, ela foi lá e fez



Domingo, 14 de maio, Dia das Mães. Dia daquela que carrega e nutre a semente da humanidade! Não se nasce mãe, torna-se uma, a cada gesto de amor, cuidado, proteção, incentivo, apoio! Por ela, sentimos o agir de Deus em nossas vidas, nunca estaremos sozinhos!

A linguagem do amor é universal. Mãe é mãe, filho é filho, sejam ambos ouvintes ou surdos. A caminhada da vida é repleta de flores, pedras, espinhos e nessa empreitada são elas as primeiras incentivadoras. Não há descanso. O amor requer dedicação 24 horas. “Cabe a nós (mães ou responsáveis) estarmos presentes na hora do sim e do não!”. A declaração de Lia Mara, traduz bem essa tarefa de guardiã e mentora!

Há que se ter sempre coragem. “Para mim, não existe dificuldades, vamos erguer as mangas e seguir em frente. Não é meu filho que aprende comigo, mas eu que aprendo com ele”, diz a mãe Delma Alencar”. “Ele me fez uma mãe especial!”, completa.

Para Cristiane Lopes, “o amor da mãe para com o filho é o mais puro e o mais essencial. À medida que o encorajamos e o preparamos para o mundo, descobrimos em nós mesmas qualidades, até limitações e preconceitos, que sequer imaginávamos que tínhamos. É onde entra o amor para transformar essa realidade, fazer-nos avançar e nos tornar pessoas melhores, empoderadas, conscientes, mais felizes por proporcionar aos nossos filhos plataformas mais firmes, onde possam caminhar com segurança, com seus direitos respeitados, rumo aos seus objetivos, desenvolver suas potencialidades, realizar seus sonhos. Quanto mais felizes e realizados estiverem, mais estaremos satisfeitas também”.

Um grande abraço a todas as mães do mundo nesse dia e sempre!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Páscoa na AADA

Solidariedade: iniciativa que contagia e traz alegria

A Páscoa da AADA teve chocolate com recheio de solidariedade. Mais de 80 caixas e inúmeros ovinhos de chocolate foram arrecadados pela empresa Pulcra – Especialidades Químicas, junto a colaboradores e amigos, e entregues em uma manhã animada a crianças e jovens surdos atendidos pela entidade. 



Segundo a funcionária Elda Barros, “o Christian, da Laboral Time [outra empresa que já realizou várias ações sociais na AADA], nos deu a ideia de fazer uma campanha para a Páscoa, já que Pulcra vem realizando alguns trabalhos para ajudar ao próximo e despertar em seus colaboradores o sentimento de solidariedade”.




A Comissão Interna de Prevenção de Acidente (CIPA) administrou a campanha, iniciada em 10 de abril e encerrada no dia 20, em parceria com o setor de Recursos Humanos da Pulcra. “Com a ação foi possível conhecer mais de perto o trabalho da AADA, e fazer parte deste momento nos deixou muito felizes. Acreditamos no trabalho de inclusão e estamos sempre perto das ações sociais, promovendo a empatia e a solidariedade”, completou Elda.




















segunda-feira, 6 de março de 2017

Teatro inclusivo


Trupe Sentidos promove seletiva de atores surdos e ouvintes

O grupo de teatro inclusivo Trupe Sentidos, de São José dos Campos, realiza no próximo sábado, 11, das 14h às 17h, uma seletiva para novos integrantes. O processo será conduzido por profissionais da área, colaboradores da trupe, e poderão participar pessoas interessadas na área, maiores de 18 anos, surdas sinalizadas e ouvintes, sem necessidade de cursos específicos no currículo. “A área teatral é muito dinâmica e se faz necessário um compromisso de curiosidade e empenho em aprender sempre”, explica Silvana Fabrício, produtora cultural do grupo.

De acordo com a ela, os novos integrantes atuarão no palco e produção de espetáculos. “O fazer teatral engloba diversas áreas de conhecimento e diversas competências, como cenógrafo, operador de luz, de som, figurinista, atores e outros. Nosso objetivo é que, a partir das habilidades individuais, o integrante aperfeiçoe e agregue conhecimento à equipe”, reforça.

Com que roupa
Para participar da seletiva, basta vestir roupas confortáveis e ter disposição para as atividades propostas. Os candidatos serão avaliados por colaboradores da Trupe Sentidos, como Osni Antonio Henrique (ator e preparador de elenco), Silvia Soares (atriz e coordenadora cênica) e Carol Toledo (atriz). Serão avaliadas aptidões como: comunicação, iniciativa, compreensão das atividades, e habilidades sociais.

“Definidos os novos integrantes, serão realizados ensaios semanais para a integração, adaptações e alterações nos trabalhos que estão montados, como ‘Baú de Histórias’, ‘Contação de Histórias’, ‘Cachinhos Dourados’, etc”, completa Silvana. 
A seletiva será realizada na Avenida Brasil, 338, no Monte Castelo, na região central de São José dos Campos.

Teatro inclusivo
Lançada em dezembro do ano passado, a Trupe Sentidos nasceu das oficinas de criação teatral realizadas na Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA), de São José dos Campos, com adolescentes e jovens surdos, e fez sua estreia, como companhia independente, com o espetáculo “Baú de Histórias” - montagem de contos infantis adaptados para Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Para este ano, a proposta é atrair profissionais teatrais para oficinas com o elenco.

Para a produtora cultural Silvana Fabrício, a receptividade do público e dos colegas artistas com a trupe e sua proposta de teatro inclusivo foi bastante positiva. “O público chegava ressabiado pela novidade anunciada - um espetáculo em LIBRAS, com surdos no elenco - e saía emocionado, encantado e feliz. E pudemos vivenciar alegria do elenco em perceber a receptividade do público. Isso pra nós é fundamental”.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A todo vapor

AADA inicia 2017 com obras de adequação e de criação de Espaço Auditivo

A Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA) iniciou o ano de 2017 transformada em um canteiro de obras. As melhorias preveem: adequação da calcada; pintura da recepção; revestimento acústico para as salas de terapia; instalação de ar condicionado; readequação de espaço para uma nova sala; adequações nos banheiros e sala de cursos. Segundo a coordenadora de projetos Érika Felix, “é difícil falar em previsão de entrega, pois a AADA depende de arrecadações e trabalho voluntário, mas deverá ocorrer em meados de março. Nossa meta é concluirmos as salas para que os atendimentos em grupo possam ser retomados o quanto antes”.
Mas o ritmo de trabalho já é intenso, com a realização de novas avaliações, acompanhamento jurídico, capacitação de voluntários, elaboração de novos projetos e planejamento de atividades. “Neste semestre, a AADA começa uma nova etapa de gestão e implementação de novos projetos, como a criação do Espaço Auditivo, onde será possível, por exemplo, a realização de audiometria”, adianta. Érika.
O telhado do andar superior, que tem "favorecido" estragos em dias de chuva forte, também será trocado.

Instalação de ar condicionado 

Adequação de calçada

Melhorias em acessibilidade

Adequação dos banheiros e revestimento acústico em salas de atendimento

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Seja um profissional a favor da inclusão!

Ainda dá tempo de participar, garanta já sua presença nas turmas do Curso de LIBRAS da AADA 2007! Se você trabalha na área da educação, saúde, cultura, artes, entretenimento, serviços, comunicação; se você é líder comunitário, de pastorais ou células e ministérios religiosos; é funcionário público ou de entidades filantrópicas, pode chegar, se inscrever e participar. 

A partir de fevereiro, a Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo promove mais três módulos do Curso LIBRAS 2017: Básico, Intermediário e Avançado. Ao todo são 60 horas de capacitação (por módulo). O investimento é facilitado e você pode pagar à vista ou parcelado. As aulas começam a partir do dia 13 deste mês, com turmas de manhã e à noite, escolha a sua!!!