quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Fim de ano na AADA

“Natal Solidário” na AADA tem presentes, doces e mágica

A quinta-feira do dia 8 de dezembro foi especial para crianças, adolescentes e jovens surdos atendidos pela AADA. De manhã, o “Bom Velhinho” visitou a garotada e distribuiu presentes e doces. Além disso, teve café festivo preparado pelas famílias e também a apresentação da Companhia Homens de Palha de Circo e Teatro, de São José dos Campos, que iniciou no mesmo dia a itinerância do espetáculo de mágica “O Sumiço do Mágico Abracadabrus”, contemplado pelo Fundo Municipal de Cultura.
Os presentes foram doados pelo setor de Ação Social da Igreja Metodista, de São José dos Campos. “Conhecemos a AADA pelo curso de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Sabemos que se trata de uma instituição séria, vemos o trabalho e o esforço de todos ali. Por isso, sempre estamos dispostos a ajudar”, conta a coordenadora Tânia Gonçalves Melo. Já as caixas de bombons vieram por meio de uma ação da empresa Laboral Time, de consultoria em ginástica laboral e palestras, junto aos seus clientes.
No espetáculo de mágica, o palhaço “Pinote”, interpretado pelo ator e pesquisador Rodolpho Pinotti, contou com a ajuda das crianças para tentar desvendar o mistério que envolve o desaparecimento do mágico “Abracadabrus”, em um camarim abandonado, cenário da peça, cheio de pistas e truques repletos de cores, movimentos e também sons. A montagem contou com o acompanhamento musical (charanga) do músico e pesquisador Johnny Gouvêa. A criançada ainda participou de uma oficina de malabares.

Johnny Gouvêa - músico da charanga

Crianças interagem com o palhaço "Pinote" na peça que aborda a prática da mágica

Espetáculo ‘na mochila’
Segundo a coordenadora de projetos da AADA, Jussara Pellini, a iniciativa de se apresentar na AADA partiu da própria companhia. “Nossa proposta, depois de um tempo necessário dedicado à pesquisa das linguagens do circo e do teatro, é montar um espetáculo, colocá-lo ‘na mochila’ e circular em praças, feiras e demais locais onde não haja casas de cultura por perto, e também em instituições filantrópicas, como ONGs, asilos, orfanatos, entre outros”, conta Pinotti (confira a agenda de espetáculos).
A escolha da AADA para iniciar a circulação deste novo trabalho da trupe não foi por acaso. Em 2002, então na Companhia Sem Máscaras de Teatro, Rodolpho Pinotti foi protagonista na montagem “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare, dirigida por Valter Vanir Coelho, totalmente em LIBRAS.
“A AADA desenvolve um trabalho muito legal e eu já tinha um contato com a Silvana Trigo [presidente da associação], justamente por conta de ‘Romeu e Julieta’. Além disso, estudei pedagogia e também um pouco sobre a caminhada do surdo e de como é difícil essa questão da inclusão, que e é justamente um dos tópicos do nosso projeto de pesquisa em teatro”, finaliza o ator e pesquisador.
Acompanhe pela nossa fanpage outros momentos desse dia especial!


Nenhum comentário:

Postar um comentário