sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Um parque, muitas atrações - você tem que ir!!!

Hoje encerramos a série fotográfica “Um parque, muitas atrações”, na qual adolescentes surdos mostraram alguns pontos de visitação do parque Roberto Burle Max através de várias fotorreportagens. Nesta ocasião, os estudantes da Oficina de Blog estiveram em lugares que ressaltam pela beleza da paisagem e a possibilidade de interagir com a natureza.


Borboletário Municipal "Asas de Vidro"


O lugar, aberto ao público em 2013, tem o objetivo de promover a educação ambiental, pois mostra aos visitantes a importância das borboletas na biodiversidade. Esse tipo de inseto desenvolve um papel essencial no ecossistema por meio da polinização, essencial para a reprodução das plantas. Nesse sentido, o borboletário também constitui um espaço para aprender sobre a inter-relação das espécies.


“Asas de Vidro” oferece visitas monitoradas todas as terças e quintas-feiras, dias nos quais as pessoas podem assistir a um vídeo sobre o ciclo de vida desses insetos; conhecer o berçário, onde estão os ovos das borboletas e as lagartas; e um jardim com determinados tipos de plantas que servem de alimento. 


A população tem a possibilidade de visitar o lugar gratuitamente em grupos de 15 pessoas por vez, das 9h às 13h. 


No dia em que as instalações do borboletário ficam fechadas ao público só podem ser observadas pelo lado de fora.

Casa da Ilha

A casa da Ilha, uma antiga casa de colonos construída por volta de 1930, é outro frequente ponto de visitação no Parque da Cidade. Lá a população pode admirar diferentes animais que ficam em seus arredores como capivaras, patos, peixes, tartarugas, além de alguns tipos de insetos. 







Atualmente, o centro faz parte de um projeto de educação ambiental da Prefeitura de São José dos Campos. O lugar tem um viveiro de mudas onde se realizam com frequência oficinas do programa Hortas Urbanas com o objetivo de ensinar algumas noções básicas para cultivar hortaliças, ervas e temperos orgânicos, livres de agrotóxicos.

Residência Olivo Gomes

Construída em 1951 para o Olivo Gomes, antigo proprietário da fábrica de tecelagem Parahyba, a residência constitui um dos principais patrimônios históricos de São José dos Campos e um clássico da arquitetura moderna brasileira. 






Foi o resultado de um projeto desenvolvido pelo arquiteto Rino Levi e o paisagista e artista plástico Roberto Burle Marx. Além dos elementos arquitetônicos, a casa chama a atenção dos visitantes pela beleza dos jardins e espelhos d’água que a rodeiam.




Em 2016 a residência recebeu obras de manutenção e conservação. 

*Participaram desta fotorreportagem: Ana Beatriz Mathioli, Ana Carolina de Jesus, Diego Bernardo, Evelyn Santos, Julia Laurindo, Larissa Naiade, Nathalia Leite e Roseni Santos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário