terça-feira, 29 de novembro de 2016

Hoje é dia de doar!


A Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo, #AADAsjc, convida você para participar da campanha #forçapraterminar e contribuir com sua doação para a conclusão das obras de adequação acústica das nossas salas de atendimento.


A iniciativa faz parte do #dia de doar. Realizado em vários países, o Brasil aderiu à campanha em 2013 para promover a solidariedade e a sustentabilidade de organizações da sociedade civil. O objetivo do Dia de Doar é estimular pessoas e entidades a doarem qualquer coisa que tenham e que possa ser repartida entre os demais que precisam. Neste ano, a data é celebrada hoje, 29 de novembro.

Nas ultimas semanas, a sede da AADA tem recebido obras de manutenção que contribuirão para melhor atendimento dos deficientes auditivos e suas famílias, mas ainda precisamos de uma força para terminar alguns detalhes em três salas. Nossa associação agradece qualquer quantia que você ou sua empresa possa doar. Caso que tenha interesse em juntar-se a nós confira embaixo nossos dados bancários. Seja um doador e ajude a gente a fazer a diferença!


video

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

teatro inclusivo

“Trupe Sentidos” lança proposta de teatro inclusivo no Vale do Paraíba



Tinha tudo para ser um espetáculo teatral de fim de ano da Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA), de São José dos Campos. Mas eles querem mais que um encerramento. Querem um teatro inclusivo, capaz de reunir em uma montagem, em uma trupe, pessoas surdas e ouvintes, que abuse das cores, sons, gestos e, claro, LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) para promover, através da arte, a tão sonhada inclusão social. Está em curso a contagem regressiva para o lançamento da Trupe Sentidos – com a estreia do espetáculo “Baú de Histórias”, em 3/12, às 19h, no Teatro Univap Urbanova, em São José dos Campos. O BlogAADA entrevista a produtora teatral Silvana Fabrício, convidada para assumir a coordenação do grupo em 2017, quando a AADA passará de incubadora à apoiadora da Trupe Sentidos. A tendência é que outros profissionais da área na região somem talentos e saberes à iniciativa.

“É através dos sentidos que experienciamos o mundo a nossa volta e construímos nossa identidade, influenciando e sendo influenciados pelo ambiente e pelas pessoas ao nosso redor. O intuito da Trupe dos Sentidos é mostrar e explorar essa experiência sem o auxílio constante da fala, que é como nós, ouvintes, estamos habituados”.

Silvana trás na bagagem dois anos de produção executiva à frente da Cia. Teatro da Cidade, de São José dos Campos, e também do Mapa Cultural Paulista, em 2014, projeto do governo do Estado de São Paulo.

Confira a entrevista completa:


BlogAADA: Como nasceu a Trupe dos Sentidos?

Silvana Fabrício: O grupo surgiu este ano a partir de uma oficina de dramatização para desenvolvimento de habilidades dos alunos da Associação de Apoio ao Deficiente Auditivo (AADA). Ao todo, são nove integrantes no elenco de “Baú de Histórias”, todos usam LIBRAS. Seis deles são surdos (Diego Bernardo, 18 anos, Gisleno Pereira, 18, Ana Beatriz Mathioli, 18, Erivan da Silva, 19, Denis da Silva, 25, e Pedro Henrique Andrade, de 17), e os demais, ouvintes (Silvia Soares Toledo, Rosinalva Mathioli e Carol Toledo).

BlogAADA: A Trupe Sentidos traz novas possibilidades de desenvolvimento para os alunos da AADA?

Silvana Fabrício: O desenvolvimento individual e coletivo através do teatro traz resultados para a vida como um todo, e essa foi a motivação principal: o desenvolvimento individual e coletivo dos alunos, fazendo com que eles alcancem os seus objetivos na vida cotidiana e descubram habilidades até então encobertas, desenvolvendo potencialidades individuais, cada um dentro do seu limite.

BlogAADA: Por que Trupe Sentidos?

Silvana Fabrício: Somos a Trupe Sentidos, pois, é através dos sentidos que experienciamos o mundo a nossa volta e construímos nossa identidade, influenciando e sendo influenciados pelo ambiente e pelas pessoas ao nosso redor. O intuito é mostrar e explorar essa experiência sem o auxílio constante da fala, que é como nós, ouvintes, estamos habituados.

BlogAADA: A peça “Baú de Histórias” representa também uma nova tendência em relação às apresentações teatrais de fim de ano da AADA...

Silvana Fabrício: As apresentações anteriores tinham um caráter informal, com a participação das famílias nas encenações. Para a apresentação deste ano foram introduzidas algumas técnicas teatrais básicas, com o intuito de expandir os conhecimentos e desenvolver as habilidades físicas, emocionais e culturais dos alunos envolvidos, respeitando o estágio em que eles se encontram e estimulando-os a alcançar estágios mais elevados.

BlogAADA: Conte um pouco sobre o espetáculo “Baú de Histórias”!

Silvana Fabrício: O espetáculo conta três histórias: “O Leão e o Ratinho”, “O Coelho e a Tartaruga” e “A Cigarra e a Formiga”. Serão encenados em LIBRAS com algumas falas e músicas gravadas. O espetáculo surgiu de um desejo da Sílvia Toledo Soares e Carol Toledo [mãe e filha, profissional e voluntária da AADA, respectivamente], em colocar em prática um projeto que estava arquivado há tempos. Elas viram a possibilidade da montagem com os alunos e, com o apoio da AADA, de mães e colaboradores, começaram os preparativos de cenário, figurino e montagem das cenas.

BlogAADA: O que o público pode esperar dessa montagem de estreia da trupe?

Silvana Fabrício: Um espetáculo sensível, delicado e bem-humorado que nos transporta ao mundo infantil e imaginário com um toque de mágica e encantamento. Com atores ouvintes e não ouvintes, através da música e da LIBRAS, vamos passear entre as histórias “O Leão e o Ratinho” , “O Coelho e a Tartaruga” e “A Cigarra e a Formiga”, na companhia de “Risadinha” e “Simpatia”. Um momento especial para ser experimentado por todos de todas as idades.

*****


Trupe Sentidos apresenta “Baú de Histórias”

 - Dia 3/12, às 19h, Teatro Univap – Avenida Shishima Hifumi, 2911, Urbanova – São José dos Campos. Ingressos: R$10. Pontos de venda:

- Dia 12/12, às 19h, Teatro Instituto São José – Rua Presidente Wenceslau Bras, 161, Jardim Esplanada. Ingressos: R$10. Pontos de venda:

Mais informações: (12)3943-4729.

Ficha Técnica

“Baú de Histórias”
Concepção e montagem: Silvia Soares e Carol Toledo
Coordenação cênica: Silvia Soares
Produção executiva: Jussara Pellini Alvarenga
Preparação de elenco: Osni Antonio Henrique
Cenário, figurinos e operação de som: Natalia Toledo
Apoio de arte: Silvana Fabrício, Aurineia Figueiredo, Renata Veneziani, Adriana Gomes e Suely Tagawa.
Realização: AADA e Trupe Sentidos
Atores surdos: Diego Bernardo, Gisleno Pereira, Ana Beatriz Mathioli, Erivan da Silva, Denis da Silva e Pedro Henrique Andrade
Atores ouvintes: Silvia Soares Toledo, Rosinalva Mathioli e Carol Toledo





sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Um parque, muitas atrações - você tem que ir!!!

Hoje encerramos a série fotográfica “Um parque, muitas atrações”, na qual adolescentes surdos mostraram alguns pontos de visitação do parque Roberto Burle Max através de várias fotorreportagens. Nesta ocasião, os estudantes da Oficina de Blog estiveram em lugares que ressaltam pela beleza da paisagem e a possibilidade de interagir com a natureza.


Borboletário Municipal "Asas de Vidro"


O lugar, aberto ao público em 2013, tem o objetivo de promover a educação ambiental, pois mostra aos visitantes a importância das borboletas na biodiversidade. Esse tipo de inseto desenvolve um papel essencial no ecossistema por meio da polinização, essencial para a reprodução das plantas. Nesse sentido, o borboletário também constitui um espaço para aprender sobre a inter-relação das espécies.


“Asas de Vidro” oferece visitas monitoradas todas as terças e quintas-feiras, dias nos quais as pessoas podem assistir a um vídeo sobre o ciclo de vida desses insetos; conhecer o berçário, onde estão os ovos das borboletas e as lagartas; e um jardim com determinados tipos de plantas que servem de alimento. 


A população tem a possibilidade de visitar o lugar gratuitamente em grupos de 15 pessoas por vez, das 9h às 13h. 


No dia em que as instalações do borboletário ficam fechadas ao público só podem ser observadas pelo lado de fora.

Casa da Ilha

A casa da Ilha, uma antiga casa de colonos construída por volta de 1930, é outro frequente ponto de visitação no Parque da Cidade. Lá a população pode admirar diferentes animais que ficam em seus arredores como capivaras, patos, peixes, tartarugas, além de alguns tipos de insetos. 







Atualmente, o centro faz parte de um projeto de educação ambiental da Prefeitura de São José dos Campos. O lugar tem um viveiro de mudas onde se realizam com frequência oficinas do programa Hortas Urbanas com o objetivo de ensinar algumas noções básicas para cultivar hortaliças, ervas e temperos orgânicos, livres de agrotóxicos.

Residência Olivo Gomes

Construída em 1951 para o Olivo Gomes, antigo proprietário da fábrica de tecelagem Parahyba, a residência constitui um dos principais patrimônios históricos de São José dos Campos e um clássico da arquitetura moderna brasileira. 






Foi o resultado de um projeto desenvolvido pelo arquiteto Rino Levi e o paisagista e artista plástico Roberto Burle Marx. Além dos elementos arquitetônicos, a casa chama a atenção dos visitantes pela beleza dos jardins e espelhos d’água que a rodeiam.




Em 2016 a residência recebeu obras de manutenção e conservação. 

*Participaram desta fotorreportagem: Ana Beatriz Mathioli, Ana Carolina de Jesus, Diego Bernardo, Evelyn Santos, Julia Laurindo, Larissa Naiade, Nathalia Leite e Roseni Santos.